[RESENHA] As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky



TÍTULO ORIGINAL: As vantagens de ser invisível
AUTOR: Stephen Chbosky
EDITORA: Rocco  PÁGINAS: 223
CATEGORIA: Ficção, Ficção juvenil
CLASSIFICAÇÃO: 💙💙💙

SINOPSE: Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras - são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude.



RESENHA: O livro é um conjunto de cartas que Charlie escreve para alguém sem nome. Não sabemos nada sobre esta pessoa que vira um amigo oculto de Charlie, e ao longo do livro eu esperei realmente que houvesse uma pista que informasse algo sobre esta pessoa, mas no final não descobrimos nada. Talvez essa informação não acrescentasse em nada na história, mas eu fiquei curiosa. A escrita é bem simples e singela, aos poucos você começa a perceber o modo de pensar e agir do personagem principal, e percebe que há algo errado ou pelo menos um tanto estranho, pode ser a inocência que ele demonstra ter todo o tempo, ou apenas a percepção de que Charlie nunca parece estar totalmente onde está. Ele não pensa antes de agir, mas também não age conforme seus desejos, e em poucos momentos observamos o garoto fazer algo por si próprio. As cartas que ele escreve descrevem seu cotidiano, e em alguns relatos, ele se perde em vários comentários sem muito sentido o que me deixava meio confusa. Isso por que a escrita é conforme a linha de pensamento do mesmo na maioria das vezes.
"Não sei se você já se sentiu assim, querendo dormir por mil anos. Ou se sentiu que não existe. Ou que não tem consciência de que existe. Ou algo parecido. Acho que querer isso é muito mórbido, mas eu quero quando me sinto assim. É por isso que estou tentando não pensar. Só quero que tudo pare de rodar. Se ficar pior, eu terei de ir ao médico. E teria aquela coisa ruim novamente."
Os personagens não foram bem descritos no livro, e nem era para serem já que a trama gira em torno do próprio Charlie. O que aconteceu com ele? Por que e como? São perguntas que você irá se fazer a todo instante, mas não seja tão ansioso pelas respostas. O livro é fácil de ler, mas não quer dizer que você não tenha que forçar um pouco sua cabecinha para compreender a mente do garoto. O personagem possui uma doçura triste às vezes, e sua felicidade parece instável, tendo ele sempre que estar perto de alguém para se sentir um pouco menos solitário e bem consigo mesmo. Porém vemos que a família dele não percebe muito o comportamento de Charlie, e a carência de atenção que ele possuía pela família nunca era suprida devido a isso. Somente após o "climax" que as coisas mudam.




O garoto parece não se importar "tanto" com a ausência de afetividade dos pais e irmãos, por que tinha os amigos Sam e Patrick para faze-lo "participar" de algumas aventuras. Somente com esses amigos observamos uma alegria mais real no garoto, uma vez que para mim, Charlie sempre vivia em seu próprio mundo. Ele se apaixona, se droga, da uns Pt's e se sente infinito. Talvez esses momentos bons bastassem, porém como na realidade, quando estamos sozinhos as tormentas voltam a nos perseguir, e também era assim com Charlie. 

"Então, acho que somos o que somos por várias razões. E talvez nunca conheçamos a maior parte delas. Mas mesmo que não tenhamos o poder de escolher quem vamos ser, ainda podemos escolher aonde iremos a partir daqui. Ainda podemos fazer coisas. E podemos tentar ficar bem com elas."

O escritor relatou um relacionamento Gay que eu achei bem interessante, apesar do término revoltante. Não cheguei a ler nenhum livro que abrangesse sobre mas acho lindo esses romances descritos nos livros. É uma influencia positiva para os jovens, para que eles estejam ciente de todas as formas de amor que há no mundo, e que saibam que há quem julgue,mas que essa atitude só machuca e transforma (seja de forma positiva ou negativa) a outra pessoa.




Algo que eu acho importante a ser mencionado é o fato de Charlie começar a fumar e se drogar às vezes. Podem comentar sobre a influência que os amigos tiveram sobre ele, mas todos sabemos que quando falta algo em nós mesmos, quando estamos mal internamente, buscamos algo que possa preencher o vazio. Seja o buraco na mente ou no peito. .. Preenchido por um amor, um sonho que se transforme em realidade, drogas e afins. Sempre buscamos um remédio para a ferida e foi isso que Charlie fez, mesmo que inconsciente. Ele pode ter sido "influenciado" pelos amigos no incio mas ele continuou a fumar por escolha própria, mesmo quando estava sozinho. Não que isso seja bom, mas é importante frisar essa atitude dele, por que sempre há pessoas que criticam detalhes e insinuam apologia. Então que esse detalhe esteja esclarecido.
 


"[...] eu estava chorando, por que, de repente, tive consciência do fato de que eu estava de pé em um túnel, com o vento batendo no meu rosto. Não importava que eu visse a cidade. Nem mesmo que pensasse nisso. Por que eu estava de pé no túnel. E eu realmente estava ali. E foi o suficiente para que eu me sentisse infinito."
Esse é um livro muito bom, que aborda temas curiosos e com questionamentos e pensamentos do Charlie que você consegue levar para sua vida real. O livro é simples de ler e eu o li em uma semana por que não pude me dedicar totalmente a ele, mas a leitura flui bem e você certamente poderá ler em poucos dias.

Eu espero que tenham gostado da resenha, aguardo por vocês nos comentários!! 

Comente com o Facebook:

9 comentários:

  1. Que spoiler lindo! Fiquei super curiosa! Beijos

    ResponderExcluir
  2. Esse livro parece ter otimos assuntos que devem ser falados na sociedade atual,ja estou doida para ler! Confira também meu blog la tambem faço resenhas de livros,estou começando agora http://porcimadacabeceira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu era doida para ler este livro.
    Ai encontrei o filme, assisti, gostei, mas perdi o interesse pelo livro.
    rsrs...
    Gostei da resenha!
    bjO

    Dany
    Blog Breshopping da Dany

    ResponderExcluir
  4. Se acredita que nem o filme eu vi haha eu queria ler o livro primeiro mais sempre tem alguma coisa que me atrapalha haha vou anotar na minha lista de novo !

    www.nataliloure.com.br

    ResponderExcluir
  5. Fiquei curiosa para ler o livro, nunca vi o filme!

    Beijinhos grandes,
    Inês
    http://www.indiglitz.pt

    ResponderExcluir
  6. Li esse livro faz uns anos e me surpreendeu bastante. Adoro o personagem principal, mas os amigos dele me deixavam um pouco irritada, já que levavam ele pro mau caminho. No fim que dá pra juntar mais as pontas e entender tudo, ainda tive que pedir pra uma amiga pra organizar minhas ideias haha mas é um livro ótimo, aborda vários temas e acho que todo mundo deveria ler um dia :)

    Beijoss
    http://tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Nossa, faz muito tempo que li esse livro e, achei ele super leve e reflexivo. Mesmo, como tu falou, o Charlie sendo um menino triste com uma certa doçura. :) Agora deu uma vontadezinha de ler de novo. Hehe

    Grande beijo, Fran.
    www.delirioscotidianos.com

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li o livro, mas é tão eu haha
    Os quotes estão demais!! Amei a resenha e mais ainda o blog!
    Beijos ❤
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  9. O filme é maravilhoso, preciso mesmo de ler o livro!
    Beijos, The Fancy Cats

    ResponderExcluir

♡ Comente sobre a postagem, sua opinião é muito importante!
♡ Seguindo, segue de volta? Claro, basta comentar nos posts;
♡ Aceito afiliações, caso deseje entre em contato pela página "Contato" ou pelo e-mail: contato@palavrasambulantes.com
♡ Sem grosserias! Comentários maldosos serão apagados;

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...