Resenha do Livro "Temporais" + Quotes





TÍTULO: Temporais AUTOR: Khalil Gibran
EDITORA: Acigi ANO: 1977  PÁGINAS: 156 
CLASSIFICAÇÃO: 💙💙💙💙
SINOPSE: Este livro violento nos pensamentos e nas palavras, pretende arrasar os ídolos de barro e as quimeras da alma humana como os temporais arrasam os troncos dessecados e as casas abaladas. Nele, Gibran se orgulha de ser extremista e intolerante "porque quem é moderado na proclamação da verdade proclama somente metade da verdade e deixa a outra metade velada pelo medo do que o mundo dirá." Uma leitura que nos estimula e nos engrandece como um tônico de gigantes.





Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Depois da maratona de livros obrigatórios da Fuvest, eu estava procurando um livro diferente e que fosse parecido com o meu interior. Aconteceu muitas coisas nesses últimos meses e às vezes nos pegamos bem pensativos e confusos, certo? Comigo não foi exceção. Me deparei com o livro "Temporais" do escritor Khalil Gibran e me surpreendi quando reparei que a leitura, na verdade seria de contos e não de uma história única. Eu me apaixonei pela escrita e pelos pensamentos do Gibran, ele é nilista e possui palavras dramáticas e realistas que eu amei ler. A leitura é bem crítica e se relaciona com assuntos da sociedade e do próprio interior da pessoa (ou no caso, do próprio escritor) e eu super recomendaria o livro para um amigo.

"Faço votos para que aprendas a amar as tempestades em vez de fugir delas."


RESENHA: 
Sim, eu sei, a capa não é das mais agradáveis mas quem nunca ouviu aquela frase "Não julgue o livro pela capa"? Então, é exatamente isso. Eu amei a leitura e odiei a capa para ser bem sincera. Ela me dá arrepios! Muitos vieram até mim perguntar o por que eu estava lendo um livro de "demônio-diabo-monstros-bruxaria-etc" e eu sempre dizia que o livro era de contos e que falava sobre a rotina e outras coisas comuns. Mas é inevitável olhar para essa capa sem olhares curiosos.


Cada conto é diferente um do outro, uns mais curtos e outros mais longos, e variam de reflexões sobre a sociedade à religião, de um comentário sobre o próprio escritor a outro sobre o tempo, do ponto de vista de alguém que luta pelos sonhos à saudade de alguém especial. Há frases incríveis, pensamentos bem críticos e eu quase não consegui escolher os melhores quotes. Dos 32 contos, os meus favoritos foram:  Satanás, Veneno no Mel, Os Dentes Cariados, A Presença Invisível, Os Gigantes, A Tempestade, Os Filhos de Minha Mãe, A Violeta Ambiciosa e Anestésicos e Escalpelos. Talvez, só de ler os nome haja a sensação de estranheza com os contos, mas são muito bem desenvolvidos e a mensagem que eles passam é muito atual, apesar do escritor te-las escrito há dezenas de anos atrás. 

Tenho que dizer que foi beeem difícil escolher os favoritos, por que de verdade, cada conto é único e te prende de uma forma, você se agarra nas palavras e trás elas para a sua realidade e comigo em particular, a maioria dos contos descrevia meus próprios pensamentos e sentimentos. E o fato de Gibran ser nilista e tão crítico da forma como escreve, deixa um ar de originalidade e beleza única nos contos e esse detalhe é um dos que mais me encantou.


"Não procurei a solidão para orar e me castigar, mas para fugir dos homens, de suas leis, de suas tradições e de seu trabalho. Procurei a solidão porque me cansei dos que confundem amabilidade com fraqueza, e tolerância com covardia, e altivez com orgulho. Procurei a solidão porque me cansei de lidar com os endinheirados que pensam que o sol e a lua e as estrelas se levantam dos seus cofres e se deitam nos seus bolsos. Cansei-me dos políticos que enchem os olhos dos povos com poeira dourada e seus ouvidos com falsas promessas. Cansei-me dos sacerdotes que aconselham os outros, mas não aconselham a si mesmos."



QUOTES:
 ➼ "E a primavera voltará. Mas quem espera atingir a primavera sem passar pelo inverno nunca a atingirá."

➼ "Olha: este é nojento como o porco, mas sua carne não se come; e aquele é áspero como o crocodilo, mas de nada serve sua pele; e esse é estúpido como o burro, mas anda sobre dois pés. E aquele outro é azarento como o corvo, mas vende seu pio nos templos; e aquela é vaidosa como o pavão, mas suas plumas são postiças."

 ➼ "Quando me cansei de contemplar as procissões, sentei-me no vale das sombras, e vi uma sombra magricela a caminhar sozinha rumo ao sol. Perguntei-lhe:
- Quem és tu?
- Eu sou a Liberdade.
- E onde estão teus filhos?
- O primeiro morreu crucificado, o segundo morreu louco, e o terceiro ainda não nasceu."

 ➼ "Refugiei-me no silêncio porque os ouvidos da Humanidade se fecharam ao sussurro dos fracos e só ouvem o tumulto do abismo. E é mais prudente para o fraco calar-se diante das forças tempestuosas da vida - Essas forças que têm canhões por voz e as bombas por palavras."

 ➼ "O medo transformou vossos cabelos em cinzas, e a insônia transformou vossos olhos em cavidades escuras, e a covardia tocou vossos semblantes e os transformou em farrapos enrugados; e a morte beijou vossos lábios, e eles se tornaram amarelos como as folhas de outono."

 ➼ "A infelicidade dos filhos está no que recebem dos pais. Quem não renuncia ao legado de seus pais e avós, será escravo dos mortos até que se torne um morto por sua vez."

 ➼ "Sou um estrangeiro para meu corpo. Todas as vezes que me olho num espelho, vejo no meu rosto algo que minha alma não sente, e percebo nos meus olhos algo que minhas profundezas não reconhecem."

 ➼ "As sombras de minha alma me precedem, levando-me aonde não sei, oferecendo-me coisas de que não preciso, procurando algo que não entendo."

 ➼ "[...] Convencido de que os piores inimigos do homem estão dentro dele e não fora dele, e que a compreensão e a compaixão são melhores instrumentos de reforma e de pregresso do que a condenação e destruição."

 ➼ "A única profissão benéfica é a do coveiro, na medida em que "livra os vivos dos cadáveres que se amontoam em volta de suas moradas e tribunais e templos"."

 ➼ "Quem escreve com tinta não é como quem escreve com o sangue do coração."

CONCLUSÃO:
Acredito que com os quotes que escolhi, vocês puderam ver o quanto a escrita do Gibran é intensa e crítica, mas ainda assim incrível. Os contos são bem curtos (a maioria) e por isso a leitura não se torna pesada, já que há muitas reflexões a serem feitas. Eu procurei esse livro na internet e creio que não é tão fácil de acha-lo nas bancas e livrarias (pelo menos a minha edição), mas vale a pena dar umas olhadas no sebo ou até nos sites que disponibilizam livros em PDF. Comentem o que acharam do livro, da capa e da resenha. Aguardo vocês!!

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Geeeeeeeeeeeeeeeeeeeente... se eu visse esse livro em uma livraria, confesso que não iria pegar para olhar. Ainda bem que li sua resenha. Nossa, amei essas quotes que você destacou. Já quero esse livro pra ontem. Imagino o quanto você deve ter gostado mesmo. Muito reflexivo e é isso que a gente deveria buscar para esses tempos tão estranhos e difíceis.

    Um super beijo e ameeei o ilustra da sua capa.
    Obrigada pela visita no blog, apareça sempre que quiser.

    http://www.mayaquaresma.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse é meu livro preferido de Gibran. O louco também é interessante! Gibran constantemente fala do seu próprio sofrimento no líbano e isso deixa a escrita ainda mais profunda.

    ResponderExcluir

♡ Comente sobre a postagem, sua opinião é muito importante!
♡ Seguindo, segue de volta? Claro, basta comentar nos posts;
♡ Aceito afiliações, caso deseje entre em contato pela página "Contato" ou pelo e-mail: contato@palavrasambulantes.com
♡ Sem grosserias! Comentários maldosos serão apagados;

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...