Deveria ter sido ele... - Capitulo I


Escrevo aqui relatos de sentimentos abafados por um garoto que eu odeio. Sim, eu o odeio com todas as minhas forças. E o porquê? Pelo fato dele me desestruturar do jeito que faz, de mexer com minha mente e me dar além de todos os sentimentos bons, uma insegurança avassaladora. Eu odeio gostar dele da forma como gosto. E odeio ele me ter tão fácil em suas mãos do jeito que me têm. Mas antes de também odiarem ele, confesso que ele é um cara incrível e que não merece meu ódio. Aliás, ele devia me odiar, pois sei bem a pessoas chata que sou e ainda assim ele gosta de mim. É complicado, nós dois. Quem sabe alguns entendam o drama ridículo que transformamos nosso pequeno relacionamento virtual, seja de pura amizade ou não.

Posso dizer que é fácil e ao mesmo tempo complicado escrever sobre o que se sente, principalmente quando o assunto é o amor. O amor apesar de ser essa palavrinha pequena e simples, não é tão simples quanto parece. Ela possui poder, e descreve as melhores sensações do mundo. Eu sempre admirei essa palavrinha mágica de uma maneira minha, tão minha que ninguém mais conseguia entender nossa relação. Apesar de ama-lá, eu fugia de todas as formas possíveis somente para ela não me encontrar. Era um receio de me perder nos braços de outro alguém, sim, exatamente dessa forma, eu tinha um medo terrível de ser domada. Sempre fui um pouco controladora e mandona, de fato, mas eu costumava dizer que era independente demais para precisar de alguém. 

É meio idiota alguém se negar tanto assim. Eu dizia para as outras pessoas coisas para tentar convencer a mim mesma de que era verdade. Eu podia não querer, mas acredito hoje que todos precisam de alguém para compartilhar momentos e evoluir como pessoa. Têm coisas que os amigos e seus familiares não entenderam e não poderão te ajudar e fazer, o que na verdade, é o papel de um namorado ou namorada. A pessoa pode até fugir, mas para que? Por que fugir de um sentimento tão lindo? Digo, lindo quando é limpo. Sem mentiras, infidelidade, ou qualquer ato que seja criado por puro egoísmo individual e sem pensar no seu companheiro. Sempre tive em mente que, quando se está com aquela pessoa, se está inteiramente com ela. Então por favor, não me venha ficar com alguém por carência. Acredite verdadeiramente no sentimento! Viram como sou critica? Sou seletiva e complicada. Azar de quem gostasse de mim, mas ele achou que era sorte.

Como o conheci? Foi naqueles aplicativos bizarros que todo mundo têm preconceito, "Tinder" era o nome. Baixei por que queria conhecer novas pessoas, mas foi uma amiga quem tinha me apresentado o aplicativo, lá era fácil zoar os garotos que realmente não sabiam tirar foto, mas eram divertidos de trocar ideias. Incrivelmente, não me encantei por muitos deles, mas era de noite quando eu usava o aplicativo e vi um carinha legal e cliquei em gostar. Tivemos uma conversa de doido e no dia seguinte eu o chamei no WhatsApp e começamos a conversar. Eu não podia imaginar a liberdade que eu tinha dado a ele para entrar na minha vida.

Lembro-me de quando ele me contou que gostava de uma amiga da escola, eu dei dicas de como chegar nela e tudo mais e algumas semanas depois eles ficaram. Conversávamos sobre vários assuntos, e eu confiava nele de uma forma que não confiava nas minhas amigas. Na verdade, eu sempre fui uma pessoa bem reservada e costumava dizer que a pessoa tinha que ganhar minha confiança, porém hoje vejo que confiança é uma questão de escolha, se eu quiser confiar em você irei confiar, mesmo se você tiver pisado na bola comigo. Enfim, eu confiava nele. Eu nunca tive certeza de qual era a visão que ele tinha sobre mim, mas também não me importava. Isso até o momento em que ele me disse.

É engraçado olhar para trás e ver todas nossas enrolações e discussões idiotas. Naquele tempo eu nunca poderia imaginar que estaria hoje tão afim dele. Ou melhor, não poderia imaginar como ele iria me mudar. Talvez já seja possível perceber o quanto sou realista (até demais) e não acredito que um relacionamento dure eternamente, mesmo se casarmos com alguém por amor, esse sentimento pode em um determinado morrer sem motivos firmes. Eu falo isso, talvez, por não ter amado ninguém de verdade. Claro que já gostei de alguns caras, mas todos eles eram da minha infância, eu gostava dos meninos na época do ensino fundamental, e nem sei afirmar se aquilo poderia ser dito como gostar de alguém. Já me rotularam como fria. Por minhas visões, por eu não ficar com qualquer um e principalmente pelo fato de eu nunca ter namorado ninguém. Eu estou velha para não estar namorando. Minha mãe questiona "Cadê os paqueras?" e eu sempre digo que não há nenhum. Bom, têm o babaca, mas não quero falar dele para ela. Continuando, as crianças de doze anos já estão com seu terceiro namorado e eu aqui, com dezoito, ainda esperando o príncipe encantado

Meu príncipe está muito ocupado tentando ser um profissional de lol. I'm Sorry. 

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. A história está ficando ótima! <3
    Louca pelos próximos capítulos.

    www.entrecartaseamores.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico contente que esteja gostando e esperando pelos outros capítulos! <3 Um enorme beijo

      Excluir

♡ Comente sobre a postagem, sua opinião é muito importante!
♡ Seguindo, segue de volta? Claro, basta comentar nos posts;
♡ Aceito afiliações, caso deseje entre em contato pela página "Contato" ou pelo e-mail: contato@palavrasambulantes.com
♡ Sem grosserias! Comentários maldosos serão apagados;

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...