Recomeçando

Sobre os mais Velhos

[RESENHA] A Maldição, de Stephen King

Bloqueio de Escrita

17
abril
2018

Leia quando… Estiver confusa com sua vida

Sabe…
Eu ainda não sei o real sentido da vida e muito menos o porquê dela. O porquê da nossa existência. Tem dias que eu acordo e não quero “o amanhã”, tem dias que não quero saber de nenhum ser humano perto de mim, e tudo bem sabe? Eu posso não querer e não me culpar por isso. Mas eu também posso fazer diferente e buscar o “porque” de eu não querer “o amanhá”. Por quê? O que tem de tão ruim que eu quero evitar? É medo ou insegurança, ou os dois? E seja o que for, tudo bem. Dá pra seguir em frente mesmo com medo. Foi assim que eu vivi um dia de cada vez. E olha, ainda estou viva…
É difícil demais ficar querendo respostas sem prestar atenção nas perguntas. Na maioria das vezes, a gente analisa as questões pelo contexto, ou se é apresentado algum texto junto, e depois interpretamos para responder. Tem todo um processo de leitura, paciência, interpretação, aceitação, até chegar a resposta, conclusão. Na vida real não é tão diferente. Mas é que somos tão ansiosos, que em muitas questões não lemos as coisas direito e já chutamos a alternativa sem prestar muita atenção. Faz parte, mas também dá pra fazer diferente, e diferente dos testes e das provas, na vida real a gente não tem tempo predestinado. “Temos todo tempo do mundo” já dizia Renato Russo.
Pelo o que exatamente estamos ansiando? Pelo futuro? Qual é ele? Como ele é? Faculdade, diploma, papel? Hã? Será que vale a pena todo esse estresse? Será que realmente vale a pena tudo isso? E por que vale? Não! A questão não é profissional e muito menos a realização pessoal em se graduar. É maior! É do seu eu. É demais, pra você se doar tanto, por tão pouco… E sim, é pouco! Por que você é muito maior do que sua graduação, e depois que você se formar? Já parou pra pensar? A vida não se resume a isso, depois você pode fazer uma especialização, mestrado, tudo o que tiver vontade. E se não tiver vontade tudo bem . Mas tudo bem mesmo. Já parou pra pensar nessa loucura?

Eu sei, é difícil. Mas calma. Eu não to falando pra você largar tudo, ficar rebelde e tudo mais. To falando pra se ouvir um pouco mais, com mais atenção. Normalmente, mesmo inconscientemente, fazemos muito com base na opinião ou reação dos outros. E não é nossa culpa, não é culpa de ninguém. Isso acontece e é algo difícil de se quebrar. Mas querendo ou não, a gente vai se moldando para se encaixar nesses quadradinhos e sem saber a gente pode ser um triângulo nesse meio. Não encaixa, sabe? E tudo bem. Eu posso me encaixar num outro quadrado com alguém, ou num retângulo com mais alguém, ou algo, ou sei lá… seja o que for…. seja o que eu …você…quiser!
Não precisa de tanto estresse, e sim, é foda pra porra desconstruir isso! Mas mesmo com medo, mesmo com receio, ouve o que eu to falando, ouve o que você tá dizendo pra si… Uma hora esses pensamentos vão gritar tanto que você vai ficar maluca, e eu sei do que estou falando. A gente aprende pelo amor ou pela dor. E mesmo que doa, a dor precisa ser sentida, então sinta-a. E lembre-se, tá tudo bem. Ninguém tem o dever de ser forte o tempo todo. E você não precisa fazer o que todo mundo faz…
Todo mundo faz faculdade, trabalha, casa e tem filhos… Lembra que eu disse que a gente pode ser um triângulo? A gente pode muito bem não fazer faculdade, trabalhar só pra pagar o cartão de crédito e se aventurar pelo mundo. Por que não? Quem disse que não? É radical demais? Ousado? Impossível? Quem disse? E foda-se quem disse,  a gente pode o que quiser. Eu acredito nisso. E mesmo com um puta medo eu vou tentar buscar algo em que eu me encaixe. Seja onde for ou onde estiver. Vou procurar o que é “tudo bem” PRA MIM. Já é início de algo, e tá ótimo pra mim, então tudo bem mesmo. Tá tudo bem, pra você? Isso é o que importa.
Só acredita tá? Fica bem que o amanhã pode até ser pior do que hoje, mas o depois de amanhã pode ser bom, e o depois-depois de amanhã pode ser melhor…ou não…e sei lá, não precisamos saber, só viver.

06
março
2018

Recomeçando

0
Karol Vicente

É difícil voltar pra esse espaço sabendo que o meu comprometimento talvez não seja dos melhores. Eu abandonei as coisas que mais amava por questões internas, das quais muitas...

Leia mais
09
novembro
2017

ATÉ BREVE!

2
Karol Vicente

NÃO, NÃO É UM ADEUS!  Darei um tempo no blog para organiza-lo (em questão das redes sociais, layout, projetos, etc) e também para iniciar alguns projetos pessoais que já...

Leia mais
07
novembro
2017

6 ON 6 | Azul

2
Karol Vicente

No mês passado iniciei o projeto “6 on 6” com algumas blogueiras e hoje é o nosso primeiro post conjunto. O tema escolhido foi a cor azul e eu...

Leia mais
31
outubro
2017

30 Anos sem Carlos Drummond de Andrade

No meio do caminho tinha uma pedra Tinha uma pedra no meio do caminho No dia 31 de outubro o querido Carlos Drummond de Andrade, um dos maiores escritores...

Leia mais
19
outubro
2017

Sobre os mais Velhos

0
Karol Vicente

Ás vezes a gente não escuta, não presta atenção e não dá a mínima para o que eles dizem. À vezes nos sentimos incompreendidos, excluídos e rebeldes. Ás vezes somos teimosos,...

Leia mais

1 2 3 22
© 2019 Palavras Ambulantes • Desenvolvido com por