20 março 2017

[RESENHA] As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky



TÍTULO ORIGINAL: As vantagens de ser invisível
AUTOR: Stephen Chbosky
EDITORA: Rocco  PÁGINAS: 223
CATEGORIA: Ficção, Ficção juvenil
CLASSIFICAÇÃO: 💙💙💙

SINOPSE: Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras - são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude.



RESENHA: O livro é um conjunto de cartas que Charlie escreve para alguém sem nome. Não sabemos nada sobre esta pessoa que vira um amigo oculto de Charlie, e ao longo do livro eu esperei realmente que houvesse uma pista que informasse algo sobre esta pessoa, mas no final não descobrimos nada. Talvez essa informação não acrescentasse em nada na história, mas eu fiquei curiosa. A escrita é bem simples e singela, aos poucos você começa a perceber o modo de pensar e agir do personagem principal, e percebe que há algo errado ou pelo menos um tanto estranho, pode ser a inocência que ele demonstra ter todo o tempo, ou apenas a percepção de que Charlie nunca parece estar totalmente onde está. Ele não pensa antes de agir, mas também não age conforme seus desejos, e em poucos momentos observamos o garoto fazer algo por si próprio. As cartas que ele escreve descrevem seu cotidiano, e em alguns relatos, ele se perde em vários comentários sem muito sentido o que me deixava meio confusa. Isso por que a escrita é conforme a linha de pensamento do mesmo na maioria das vezes.
"Não sei se você já se sentiu assim, querendo dormir por mil anos. Ou se sentiu que não existe. Ou que não tem consciência de que existe. Ou algo parecido. Acho que querer isso é muito mórbido, mas eu quero quando me sinto assim. É por isso que estou tentando não pensar. Só quero que tudo pare de rodar. Se ficar pior, eu terei de ir ao médico. E teria aquela coisa ruim novamente."
Os personagens não foram bem descritos no livro, e nem era para serem já que a trama gira em torno do próprio Charlie. O que aconteceu com ele? Por que e como? São perguntas que você irá se fazer a todo instante, mas não seja tão ansioso pelas respostas. O livro é fácil de ler, mas não quer dizer que você não tenha que forçar um pouco sua cabecinha para compreender a mente do garoto. O personagem possui uma doçura triste às vezes, e sua felicidade parece instável, tendo ele sempre que estar perto de alguém para se sentir um pouco menos solitário e bem consigo mesmo. Porém vemos que a família dele não percebe muito o comportamento de Charlie, e a carência de atenção que ele possuía pela família nunca era suprida devido a isso. Somente após o "climax" que as coisas mudam.




17 março 2017

O melhor ângulo de enxergar a vida


Temos uma mania tremenda de viver com a "síndrome do cachorro vira-lata". Vivemos sempre como os coitadinhos, aonde tudo dá errado e ninguém nos pega no colo para fazer um carinho. Fazemos drama por tudo, não é mesmo? Fazemos drama por aquela unha quebrou, pela nota ruim que tiramos na faculdade, pelo ônibus que passou direto e nem nos viu dando sinal. Nunca paramos e olhamos para nossas próprias conquistas e todos os dias vivemos na disputa de quem sofre mais.

Sabe aquela frase: “Pensamentos positivos, atraem coisas positivas”? É muito compartilhada pelas redes sociais e pouco aplicada na vida real. Claro, ficar pensando que irá conseguir um emprego não fará alguém bater na sua porta lhe oferecendo aquela vaga maravilhosa, mas pense positivo sobre aquela entrevista, surpresas sempre acontecem. E é bom estarmos preparados para recebe-las de portas abertas.

08 março 2017

7 filmes que estão nos cinemas para assistir


1. A GRANDE MURALHA
Classificação: 12 Anos | Gênero: Ação
Elenco: Matt Damon, Andy Lau, Pedro Pascal mais
Sinopse: No século XV, um grupo de soldados britânicos está combatendo na China e se depara com o início das construções da Grande Muralha. Aos poucos eles percebem que o intuito não é apenas proteger a população do inimigo mongol e que a construção esconde na verdade um grande segredo.



2. A LEI DA NOITE

Classificação: 14 Anos | Gênero: Ação
Elenco: Ben Affleck, Zoe Saldana, Elle Fanning e mais.
Sinopse: Boston, década de 1920. Joe Coughlin, filho mais novo de um capitão de polícia, se envolve com o crime organizado. Ele aproveita seus dias rodeado de dinheiro e poder, mas suas escolhas podem levá-lo à prisão, ou até mesmo à morte. Adaptação do livro escrito por Dennis Lehane.


*** Esse filme está no topo da minha lista de favoritos. Adoro filmes com esse estilo, amo ação e romance envolvidos no filme, e este filme parece realmente muito bom!

3. MINHA MÃE É UMA PEÇA
Classificação: 12 Anos | Gênero: Comedia
Elenco: Paulo Gustavo, Herson Capri, Mariana Xavier, Rodrigo Pandolfo, Luana Piovani
Sinopse: Sucesso como apresentadora de um programa de TV, Dona Hermínia (Paulo Gustavo) resolve tentar novos relacionamentos, deixando para trás o pedido de Carlos Alberto (Herson Capri) para que reatem. O problema é que cada possível namoro empaca justamente devido à preocupação dela com os filhos Marcelina (Mariana Xavier) e Juliano (Rodrigo Pandolfo).



Impossível não rir com o Paulo Gustavo, e ele de mulher é melhor do que com personagem masculino (haha). Quem assistiu o primeiro filme sabe que é ótimo e não pode perder a seqüência por nada.

07 março 2017

ANIVERSÁRIO DO BLOG + SORTEIO


Já faz dois anos que eu repito para mim mesma que eu devo me dedicar mais ao blog, que eu devo me doar um pouco mais à essa paixão que sinto pela escrita, mas as palavras vão se perdendo com o tempo e agora eu percebo quantas vezes eu deixei meus prazeres internos em segundo lugar. Apesar de ser algo simples, o blog é meu espaço pessoal compartilhado com o externo, com a sociedade em geral. E entregar meus pensamentos ao mundo não é tão simples assim. Eu não costumo divulgar meus escritos com pessoas no mínimo muito intimas à mim, e por isso escolhi a data de hoje para celebrar além do aniversário do meu blog, o "adeus" as minhas inseguranças quanto ao blog e aos receios quanto à minha escrita. Para mim, não são apenas palavras e tudo bem se outras pessoas não sentirem elas como eu sinto. Se é algo que eu amo tanto e que me traz todos os sentimentos bons possíveis, não devo temer a negação alheia, por que a minha própria aceitação já mostra-se suficiente para mim.

Meu blog é pequeno, a little baby em meio a tantos outros blogs literários que surgiram nos últimos anos, mas eu nunca tive a intenção de ganhar fama e dinheiro com ele. É inegável que todos na blogosfera almejam crescer com seu espaço na internet, e eu também desejo, mas acima disso, já me sinto realizada por (pela primeira vez) chamar meus amigos e familiares para lerem o que eu escrevo. Lerem o que eu sinto. Me lerem...

Foram dois anos para aceitar algo meu e expor aos outros. Demorou mas aconteceu. E eu que escrevo desde que me entendo por gente, estou grata por tudo o que pude presenciar devido ao blog. Me sinto agradecida pelas amizades que fiz, pelos eventos que fui e por todo carinho que recebi durante esse tempo. O melhor presente que eu e o blog poderíamos receber é esse amor em palavras, os sentimentos compartilhados, e a interação entre as pessoas de todos os cantos do mundo. 

03 março 2017

Como não falar de Grey’s Anatomy?



Eu sei que todo mundo já ouviu falar ou assiste essa série que envolve medicina, sangue, amor, ódio, vida e morte. Comecei a assistir Grey’s depois de todo mundo já ser viciado e também após a insistência de uma amiga. Confesso que no começo não me envolvi tão sentimentalmente, ou seja, não chorei pelas mortes. Depois passei a me emocionar e logo em seguida já estava apegada de alguma maneira a cada personagem.

Hoje eu não assisto só por ser a série “modinha” da vez. Assisto, pois a série consegue te cativar de uma forma bem envolvente. Grey’s Anatomy mostra a você pessoas desconhecidas que depois de amigos, tornam-se uma família. A série também mostra que lutar por aquilo que acredita é o mais importante, não importa as consequências (que quando se trata de medicina, são muitas). Grey's te trás uma essência, que nem você sabia que existia.  Mostra que o "inimigo" um dia pode virar seu amigo e que nada é tão ruim que não possa piorar (haha). 

A filosofia que é passado no final de cada episódio são daquelas que você se pega pensando antes de pegar no sono. Grey’s Anatomy é sem dúvida, daquelas séries que você na segunda temporada já está se sentindo um dos personagens, onde tudo que acontece te lembra algum episódio, citação de alguma pessoa ou alguém em especial. Certamente, a série vai te prender do começo ao fim e te fazer querer mais a cada temporada. Ainda não terminei toda, mas não tem como deixar de falar de Grey’s Anatomy.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
home o blog escritos universo literário contato
Palavras Ambulantes | Todos os direitos reservados ©| Desenvolvido por Andressa Silva e Karolline Vicente